MENOS PROTEÍNA BRUTA, MAIS LUCRATIVIDADE

DIETAS DE PROTEÍNA IDEAL

Uma ração de alta proteína pode garantir aminoácidos suficientes para o crescimento dos animais, mas a um alto custo. O conceito inovador de proteína ideal usa cálculos precisos de aminoácidos e supre as exigências dos animais com aditivos alimentares econômicos.

O conceito de proteína ideal é um dos avanços mais importantes na nutrição animal. Baseia-se no fato de que os animais necessitam de um perfil balanceado ou ideal de aminoácidos para maximizar seu desempenho e a retenção de nitrogênio. Todos os aminoácidos absorvidos em excesso em relação ao primeiro aminoácido limitante são catabolizados, aumentando a excreção de nitrogênio. O ponto de partida deste conceito é a lisina, que é utilizada quase que exclusivamente para a deposição de proteína corporal. A exigência de lisina, ajustada ao potencial genético de diferentes animais e condições de produção, é utilizada como referência para definir as exigências dos outros aminoácidos essenciais. Esta relação ideal é a chave para calcular a quantidade certa de aminoácidos e reduzir a proteína bruta. Resultado: otimização do desempenho e maximização da utilização de nitrogênio.

Aminoácidos vs. Proteína bruta

A proteína bruta é um dos componentes mais caros das rações. Os recentes aumentos dos preços enfatizam ainda mais o fato de que formular rações para atender às recomendações de aminoácidos usando altos níveis de fontes de proteína intacta é claramente ineficiente. Além dos custos elevados, as desvantagens incluem o estresse metabólico, porque os animais precisam catabolizar e excretar o excesso de aminoácidos.

Com base em achados científicos e décadas de experiência prática, a Evonik estabeleceu recomendações de aminoácidos para diferentes espécies de animais de produção. A redução resultante das exigências de proteína bruta e o uso direcionado de aminoácidos – conceito de proteína ideal – maximiza o desempenho e a lucratividade e, ao mesmo tempo, reduz o impacto ambiental.